Dei para quase todos do quartel





By Valagata

Oi sou Maria e tenho 43 anos. Sou casada há mais de 20 anos e tenho 3 filhos, mas, conservei minha beleza corporal, pois sempre gostei de ser assediada, quando estou andando sozinha.
Bem, meus amigos, o que vou relatar começou a acontecer quando o meu marido, por não tratar de sua saúde e se preservar, começou a fica broxa... (risos) e eu, toda fogosa, fiquei muito nervosa e impaciente.
Como disse, mantenho um corpo com 1m80 e 85 kg de pura gostosura! Meus seios são fartos e fazem com que as roupas, me deixem com um decote lindo e meu bumbum, que todo durinho e arrebitado, deixam enlouquecidos mais safadinhos.
Certa época, meu marido pediu para que fossem arrumar um vazamento na parede e ele me ligou, ainda pela manhã, para avisar-me que iriam dois soldados para sanar o problema, e eu pensei, (Risos), então, eles irão sanar dois problemas, (risos).
Coloquei um vestidinho que me deixava com um decote enorme, quase saindo os biquinhos do peito, pois, nem sutiã usei, e ele era bem curtinho..., quase que não podia nem andar, que ele já subia e mostrava meu bumbum.
Quando eles chegaram não me decepcionaram, eram dois jovens, de uns 20 anos, chamados Soldado Paulo, (um negrinho gostoso) e o Soldado Marcio (um branquinho magrinho), eles me comeram com os olhos naquele momento.
Deixei que eles trabalhassem, pois apesar da minha carência, eu queria brincar com eles um pouco.
O vazamento era do banheiro para um outro cômodo que servia como um escritório, e começaram a quebrar para achar o cano, de vez em quando, eu visitava o local para saber como andava as coisas, e confesso, que até me insinuava para ver a reação deles.
A primeira vez que fui, levei uma caneta e depois de conversar com eles, eu fingi que iria pegar um papel e me abaixei deixando o vestidinho subir tanto, que meu bumbum ficou praticamente todo à mostra, e ainda mostrava até o meu fio dental preto, socado na minha bunda... (risos).
Quando levantei e olhei rapidamente para os soldados, vi que os dois já estavam com seus paus duros, pois usavam um uniforme apertado, um calção verde e uma camiseta camuflada, e o bilau deles, não estavam nada camuflados dentro dos calções...
Da segunda vez que levei um cafezinho para eles, dei primeiro para o Márcio e quando fui entregar para o Paulo, derramei nele, de propósito, molhando a camisa e o calção, pedi desculpas e ele dizia que não tinha sido nada, mas eu insisti, que ele trocasse de roupa e levei ele para o quarto, pois fui pegar um calção do meu marido e deixamos o outro trabalhando sozinho.
Dei o calção para ele e quando ele ia no rumo do banheiro se trocar, eu disse nananinanão, (risos) ...
-Eu quero ver, o seu brinquedinho!
Nossa, naquela hora eu não me aguentava de tesão, pois já estava havia muito tempo, sem sentir um pau duro mexendo dentro de mim.
Ele sorriu e abaixou o calção, ficando de cuequinha, mas eu queria ver, e peguei ele de surpresa e baixando sua cueca, e vi que, realmente, os negões, tem um bilau enorme! Aquele bicho pulou e ficou empinado, e eu, aaahhh, nem tive dúvidas, eu me acabei naquele brinquedo, comecei beijando e chupando e o “sd” só sorrindo e acho que nem estava acreditando na sorte grande, que tirou naquele dia! Eu chupei seu pau que nem coube mais na minha boca, lambi e depois fiquei de quatro na cama, e pedi para que ele enfiasse com vontade mesmo, que eu estava precisando muito, e ele obedeceu, dizendo:
-Madame, um soldado só cumpre ordens!
E o danado começou a socar forte, uma estocada atrás da outra, e já me fez gozar, de tanto prazer! Depois um vai-e-vem gostoso, e o tempo passando, 1 minuto, 5 minutos, 10 minutos e eu disse:
-Você não goza não?
E o safado, disse:
-Madame, só depois de meia hora...
Nossa, que delícia..., quanta diferença! O meu marido mal colocava e já começava a gemer, me melecando toda...
Falei então:
-Vai, soldado, deite aí!
E eu já caí de boca naquela rola e dei mais uma chupada, pois tinha que tirar bastante casquinha, e depois de montar novamente, eu comecei a cavalgar e cavalguei, cavalguei, e cavalguei, até que gozei, cavalguei de novo, e tornei a gozar, e quando menos esperava, o safado do Márcio chega, e me deitando sobre o Paulo, falou:
-Gostosa, eu também quero e vou comer teu cu!
Não me deu nem tempo de reagir, já foi cuspindo e enfiando aquela rola no meu cu..., como doeu, mas estavam os dois dentro de mim e quando um mexia o outro ficava parado, o celular tocou, e era o meu agora corno, pra saber como estava, e eu disfarçando na voz, e os soldados sem vergonha, me fodendo com força, eu não aguentei, e gozei falando com meu marido, ele perguntou:
-Mas o que é isso?
E eu disse:
-Amor, eu que estou aqui no nosso quarto, batendo uma siririca, pois seus soldados são muito gostosos, e foi aí que eu me surpreendi, pois ele disse assim:
-Olha, então, porque você, não fode com eles? Só não diga nada para eles, que eu deixei e fala também, para eles ficarem de boca fechada!
Então, eu disse:
-Ok amor, você é mesmo um maridão! Vou fazer isso!
E desligando o celular, continuei brincando com meus meninos agora, devidamente autorizada pelo meu corno.
Tirei a barriga da miséria, e deixei eles trabalharem, só que de vez em quando, ia dar uma chupadinha neles e aproveitava para ser a putinha deles, trocava de roupa e visitava a obra!
Em resumo, eles não conseguiram terminar e tiveram que me visitar a semana toda!
Contei tudo para meu marido que até ficou de pau duro, era isso que precisava: um belo e robusto par de chifres (risos)
Mas não parou por aí,aconteceram outras "paradas  militares" mas isso, eu contarei depois, quer dizer,  só se vocês gostarem, beijos...
Maria.


Comentários

Postagens mais visitadas